Nintendo: 30 anos de games. Falta sintonia?

famicom

A Nintendo comemorou nesta segunda, 15/07, trinta anos do lançamento do seu pioneiro console de games, o Famicom,  que, na prática, tirou o centro da atenção dos jogos das máquinas para milhões de lares com um televisor e o equivalente a US$ 160 atuais. Estava criada a indústria de videogames, com três títulos que viraram clássicos: Donkey Kong, Donkey Kong Jr. e Popeye. O blockbuster NES – Nintendo Entertainment System chega aos lares americanos dois anos depois, para entreter mais de uma geração de fãs ao longo de sua estendida vida de sucessos, e boas lembranças guardadas na memória de tantos de nós.

Quem não se viciou com o Super Mario Bros.?

Por muitos anos, a Nintendo o concorrente a bater. Quando Sony e Microsoft se consolidaram no topo do mercado de consoles, com os fantásticos PlayStation e XBox, a Nintendo ainda surpreendia, com o inovador Wii, seus múltiplos títulos e com acessórios inovadores.  Muitos de nós praticamos esportes indoor, como tênis e golfe e fizemos condicionamento físico, com o Wii Sport. A sacada da Nintendo ao tornar prático o reconhecimento de gestos facilitou a disponibilização de uma verdadeira academia na sala ou no quarto, sem a necessidade de grandes e pesados aparelhos. Só anos mais tarde a Microsoft reagiu com o lançamento do Kinect, que tirou definitivamente qualquer diferencial que o Wii pudesse ter.

Mas a Nintendo perdeu o rumo, várias vezes. Seus dirigentes menosprezaram os concorrentes, sem se dar conta que a capacidade dos computadores pessoais aumentava exponencialmente e surgia a internet, como canal de comunicação entre pessoas de qualquer parte do mundo.

No auge do tsunami dos dispositivos móveis, o CEO da Nintendo, Satoru Iwata, menosprezou o lançamento do iPad, em 2010, dizendo que era um iPod Touch grandão

Agora, finalmente, ao reconhecer o fraco desempenho do Wii U, seu lançamento mais recente , Iwata admite que o problema está nos títulos oferecidos pela Nintendo, todos meio sem sal, abaixo da concorrência.

Mas isso não é tudo: a produção de games vai rapidamente para a nuvem, os tablets e smartphones começam a ter características adequadas para brincar com bons games e os consoles mais populares são cada vez mais poderosos e já contam com legiões de admiradores que hesitam em migrar para a velha pioneira.

Mesmo assim, parabéns para a Nintendo!

Anúncios

Uma resposta

  1. […] a Nintendo lançou o Famicom, 30 anos atrás, estava oficialmente dada a largada para o bilionário negócio dos games digitais. Antes disso, a […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: