Arquivos de Tag: virus

Já pensou ter seu carro hackeado?

Vivemos uma era digital plena de mudanças em nosso cotidiano. Mais do que isso, testamos novos limites de conhecimento e comunicação, mas, junto com esse lado bom, chegam problemas. Hackers do mal atacm mundo afora, criando milhões de virus e outros malwares em computadores, smartphones, tablets e colocando em risco nossa segurança pessoal.

Governos usam a tecnologia para invadir nossa privacidade e a de outros governos. A troca de informações é cada vez maior e, quanto mais a segurança digital avança, novos furos aparecem e começa tudo de novo.

CarHackingE o carro de cada um de nós? A incorporação da tecnologia digital chega para torná-los mais seguros, econômicos, ambientalmente corretos e… conectados. Ainda que limitado a certas marcas e modelos de maior luxo, já existem muitos carros que estão permanentemente conectados, e não é só pelo GPs, nem pelos smartphones do motorista e passageiros.

Carros conectados usando tecnologia digital? Pois é, os hackers descobriram um novo filão, bem antes que todas essas novidades estejam disponíveis em larga escala. E não são carros do futuro, são modelos existentes hoje, no mercado mundial.

Um carro moderno, que no mercado mundial custa a partir de US$ 20.000 (cerca de R$ 44 mil), pode ter embarcado um poder computacional superior ao de todos os computadores usados pela NASA no Projeto Apollo, que colocou o homem na Lua, no final da década de 1960.

A Car and Driver publica matéria sobre o hacking de carros, até com base acadêmica. Uma dupla de engenheiros de software, Charlie Miller e Chris Valasek, os engenheiros de software fizeram testes exaustivos em um Toyota Prius e um Ford Escape, em 2013, e demonstraram como, por exemplo,  o volante, o sistema de freios e outros controles de um carro moderno, podem ser comprometidos por defeitos intrínsecos de projeto ou fabricação (vejam as quantidades de recall feitos pela indústria automotiva nos dias de hoje) ou mesmo por intervenção mal intencionada de piratas digitais.

Esses dois especialistas em segurança digital avaliaram as redes digitais embarcadas nos carros moderemos e seu potencial de vulnerabilidades para ataques externos.

Os três carros “mais vulnerável a hackers” são o Jeep Cherokee 2014, o  Cadillac Escalade 2015 e o Infiniti Q50 2014. Já os menos vulnerável a hackers”, o Dodge Viper / SRT 2014, o Audi A8 2014 e o Honda Accord 2014.

Por enquanto, as montadoras pouco falam sobre o assunto, podendo, no máximo, fazer análises em tese, em eventos dirigidos. A Car and Driver informa que “a Nissan e a Chrysler já estariam investigando as descobertas”.

E os pontos de ataque podem até não parecerem óbvios, num primeiro momento: os dispositivos de painel que podem ser parados via Bluetooth, celular ou Wi-Fi, os softwares de navegação, as chaves de ignição que ficam no bolso e se comunicam sem fio, dispositivos de alarme antifurto. Isso sem falar nos sistemas de monitoramento de pressão dos pneus, os rádios via satélite e tantos outros.

O Jeep Cherokee, por exemplo, dependendo do modelo, pode ter até 32 pontos de acesso digital, com maior ou menor grau de vulnerabilidade.

O Bluetooth é o protocolo sem fio mais utilizado e que oferece a maior vulnerabilidade. Em 2011, outros hackers conseguiram carregar um virus em um  um sistema de segurança veicular semelhante ao líder de mercado OnStar, para gravar conversas dos passageiros no carro. Muitos modelos possuem acesso à internet via redes celulares 3G ou 4G e usam browsers para acesso a dados e aplicativos comuns a smartphones que podem interferir na dirigibillidade e segurança do veículo.

E aí, seu carro atual ou dos seus sonhos pode ser hackeado? Provavelmente não, mas as possibilidades existem e cada vez será maior.

Bom para a indústria de segurança digital, que já antevê um novo e gigantesco mercado. Há quem visualize que, nas manutenções regulares dos veículos estará obrigatoriamente incluída a atualização do anti-virus do carro. As seguradoras poderão oferecer descontos nos prêmios se você contratar serviços de proteção digital.

Soa muito sci-fi?  Pense um pouco mais, olhando o passado recente, quando pouca gente se preocupava com virus no celular. Hoje, os ataques e os danos a dispositivos móveis causados por malwares já são maiores do que a computadores tradicionais.

Precisamos nos preocupar? Por enquanto, não. Mas é bom ficar de olho! No mínimo, isso rende, desde já, um bom motivo para uma boa conversa em um happy-hour…

 

Anúncios

“Dia Zero” é um problema no Internet Explorer

Se você usa o Internet Explorer como browser principal, você pode estar sujeito ao virus Dia Zero, que simplesmente abre suas credenciais de uso do seu computador e permite que um hacker assuma sua identidade, com todos os seus dados abertos.

Embora esse virus venha atacando há meses, e seja conhecido da comunidade técnica, o alerta publicado pela Microsoft não deixa dúvidas: embora existam opções de configuração que minimizem a possibilidade de um ataque, ela ainda persiste, até que seja lançada uma correção para o IE, ou patch, como é chamado em informatiquês. E isso ainda não ocorreu, segundo a PC Magazine.

Lembrando que todos os computadores com sistema operacional Windows possuem o Internet Explorer como browser padrão e pré-instalado, a possibilidade de danos é grande, ainda mais para os usuários que possuem a credencial de administrador da conta. Traduzindo: se você comprou um computador com Windows, para seu uso pessoal, você deve ser o administrador da máquina, podendo alterar senhas, bloquear acessos e configurar privilégios de uso, embora você talvez nem saiba disso.

É bom ter um browser alternativo instalado, como o Firefox ou o Chrome, ao menos enquanto não sai a atualização de segurança da Microsoft. Você deve mudar, também, suas senhas internas e, principalmente, as de administrador de seu computador. Não deixe para depois!

Enquanto isso, verifique se não há movimentação suspeita em suas contas bancárias, suas mensagens de email, suas intervenções em redes sociais e até mesmo para uso adicional de licenças de aplicativos como o Office.

O Internet Explorer ainda é bastante utilizado e, por isso mesmo, é muito visado por hackers do mal. Eu, particularmente, evito ao máximo o uso do IE, salvo se o site que visito requeira esse browser, o que, hoje em dia, é raro.

Por fim, se você ainda usa o Windows Xp, chegou a hora da despedida. A Microsoft não incluirá o veterano Xp nessa nova atualização para conter o Dia Zero. A ordem é mudar, de uma vez por todas!

Heart Bleed: A grande ameaça à internet

heartbleedTalvez você nunca tenha ouvido falar do Heart Bleed, a vulnerabilidade na comunicação que permite decifrar e roubar códigos e senhas criptografados e torna seus dados, seu computador, tablet e smartphone extremamente vulnerável.

Então saiba que ele andava sorrateiramente nos vazando nossos dados há uns 2 anos, mas só agora essa ameaça tornou-se pública.

A maioria dos grandes sites globais já providenciaram correções, mas isso não sgnifica que você esteja seguro.

Vai valer a pena fazer uma mudança geral de suas senhas, antes que o estrago fique maior.

Antes de mais nada, veja seu histórico de navegação nos browsers que você utiliza e verifique no site Qualys SSL Labs se eles ainda estão vulneráveis.

Mas prepare-se para ver que os grandões Facebook, Twitter, Google e dezenas de outros foram afetados, fizeram correções, mas não se divulgava o tamanho da ameaça. Ou será que ninguém conseguiu entender isso em 2 anos? 

Neste sábado, 12 de abril, das 10 às 12h (horário de Brasília), estarei debatendo na CBN Curitiba, ao vivo, esse e outros temas de segurança na web. Acompanhe em www.cbncuritiba.com.br ou FM 90.1 MHz. Participe enviando seus comentários e perguntas pelo Twitter @CBNCuritiba pelo Facebook , pelo site ou por telefone.

Veja abaixo a tabela publicada pelo Mashable (em inglês), indicando a situação dos sites mais populares e como você deve agir:

 

Social Networks

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
Facebook Unclear Yes Yes√ “We added protections for Facebook’s implementation of OpenSSL before this issue was publicly disclosed. We haven’t detected any signs of suspicious account activity, but we encourage people to … set up a unique password.”
Instagram Yes Yes Yes√ “Our security teams worked quickly on a fix and we have no evidence of any accounts being harmed. But because this event impacted many services across the web, we recommend you update your password on Instagram and other sites, particularly if you use the same password on multiple sites.”
LinkedIn No No No “We didn’t use the offending implementation of OpenSSL in http://www.linkedin.com or http://www.slideshare.net. As a result, HeartBleed does not present a risk to these web properties.”
Pinterest Yes Yes Yes√ “We fixed the issue on Pinterest.com, and didn’t find any evidence of mischief. To be extra careful, we e-mailed Pinners who may have been impacted, and encouraged them to change their passwords.”
Tumblr Yes Yes Yes√ “We have no evidence of any breach and, like most networks, our team took immediate action to fix the issue.”
Twitter No Yes Unclear Twitter wrote that OpenSSL “is widely used across the internet and at Twitter. We were able to determine that [our] servers were not affected by this vulnerability. We are continuing to monitor the situation.” While reiterating that they were unaffected, Twitter told Mashable that they did apply a patch.

Other Companies

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
Apple No No No “iOS and OS X never incorporated the vulnerable software and key web-based services were not affected.”
Amazon No No No “Amazon.com is not affected.”
Google Yes Yes Yes√* “We have assessed the SSL vulnerability and applied patches to key Google services.” Search, Gmail, YouTube, Wallet, Play, Apps and App Engine were affected; Google Chrome and Chrome OS were not.*Google said users do not need to change their passwords, but because of the previous vulnerability, better safe than sorry.
Microsoft No No No Microsoft services were not running OpenSSL, according to LastPass.
Yahoo Yes Yes Yes√ “As soon as we became aware of the issue, we began working to fix it… and we are working to implement the fix across the rest of our sites right now.” Yahoo Homepage, Yahoo Search, Yahoo Mail, Yahoo Finance, Yahoo Sports, Yahoo Food, Yahoo Tech, Flickr and Tumblr were patched. More patches to come, Yahoo says.

Email

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
AOL No No No AOL told Mashable it was not running the vulnerable version of the software.
Gmail Yes Yes Yes√* “We have assessed the SSL vulnerability and applied patches to key Google services.”*Google said users do not need to change their passwords, but because of the previous vulnerability, better safe than sorry.
Hotmail / Outlook No No No Microsoft services were not running OpenSSL, according to LastPass.
Yahoo Mail Yes Yes Yes√ “As soon as we became aware of the issue, we began working to fix it… and we are working to implement the fix across the rest of our sites right now.”

Stores and Commerce

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
Amazon No No No “Amazon.com is not affected.”
Amazon Web Services(for website operators) Yes Yes Yes√ Most services were unaffected or Amazon was already able to apply mitigations (see advisory note here). Elastic Load Balancing, Amazon EC2, Amazon Linux AMI, Red Hat Enterprise Linux, Ubuntu, AWS OpsWorks, AWS Elastic Beanstalk and Amazon CloudFront were patched.
eBay No No No “eBay.com was never vulnerable to this bug because we were never running a vulnerable version of OpenSSL.”
Etsy Yes* Yes Yes√ Etsy said that only a small part of its infrastructure was vulnerable, and they have patched it.
GoDaddy Yes Yes Yes√ “We’ve been updating GoDaddy services that use the affected OpenSSL version.” Full Statement
Groupon No No No “Groupon.com does not utilize a version of the OpenSSL library that is susceptible to the Heartbleed bug.”
Nordstrom No No No “Nordstrom websites do not use OpenSSL encryption.”
PayPal No No No “Your PayPal account details were not exposed in the past and remain secure.” Full Statement
Target No No No “[We] launched a comprehensive review of all external facing aspects of Target.com… and do not currently believe that any external-facing aspects of our sites are impacted by the OpenSSL vulnerability.”
Walmart No No No “We do not use that technology so we have not been impacted by this particular breach.”

Videos, Photos, Games & Entertainment

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
Flickr Yes Yes Yes√ “As soon as we became aware of the issue, we began working to fix it… and we are working to implement the fix across the rest of our sites right now.”
Hulu No No No No comment provided.
Minecraft Yes Yes Yes√ “We were forced to temporary suspend all of our services. … The exploit has been fixed. We can not guarantee that your information wasn’t compromised.” More Information
Netflix Yes Yes Yes√ “Like many companies, we took immediate action to assess the vulnerability and address it. We are not aware of any customer impact. It’s a good practice to change passwords from time to time, now would be a good time to think about doing so. “
SoundCloud Yes Yes Yes√ SoundCloud emphasized that there were no indications of any foul play and that the company’s actions were simply precautionary.
YouTube Yes Yes Yes√* “We have assessed the SSL vulnerability and applied patches to key Google services.”*Google said users do not need to change their passwords, but because of the previous vulnerability, better safe than sorry.

Banks and Brokerages

All the banks we contacted (see below) said they were unaffected by Heartbleed, but U.S. regulators have warned banks to patch their systems.

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
Bank of America No No No “A majority of our platforms do NOT use OpenSSL, and the ones that do, we have confirmed no vulnerabilities.”
Barclays No No No No comment provided.
Capital One No No No “Capital One uses a version of encryption that is not vulnerable to Heartbleed.”
Chase No No No “These sites don’t use the encryption software that is vulnerable to the Heartbleed bug.”
Citigroup No No No Citigroup does not use Open SSL in “customer-facing retail banking and credit card sites and mobile apps”
E*Trade No No No E*Trade is still investigating.
Fidelity No No No “We have multiple layers of security in place to protect our customer sites and services.”
PNC No No No “We have tested our online and mobile banking systems and confirmed that they are not vulnerable to the Heartbleed bug.”
Schwab No No No “Efforts to date have not detected this vulnerability on Schwab.com or any of our online channels.”
Scottrade No No No “Scottrade does not use the affected version of OpenSSL on any of our client-facing platforms.”
TD Ameritrade No No No TD Ameritrade “doesn’t use the versions of openSSL that were vulnerable.”
TD Bank No No No “We’re currently taking precautions and steps to protect customer data from this threat and have no reason to believe any customer data has been compromised in the past.”
T. Rowe Price No No No “The T. Rowe Price websites are not vulnerable to the “Heartbleed” SSL bug nor were they vulnerable in the past.”
U.S. Bank No No No “We do not use OpenSSL for customer-facing, Internet banking channels, so U.S. Bank customer data is NOT at risk.”
Vanguard No No No “We are not using, and have not used, the vulnerable version of OpenSSL.”
Wells Fargo No No No No reason provided.

Government and Taxes

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
1040.com No No No “We’re not vulnerable to the Heartbleed bug, as we do not use OpenSSL.”
FileYour Taxes.com No No No “We continuously patch our servers to keep them updated. However, the version we use was not affected by the issue, so no action was taken.”
H&R Block No No No “We are reviewing our systems and currently have found no risk to client data from this issue.”
Healthcare .gov No No No “Healthcare.gov consumer accounts are not affected by this vulnerability.”
Intuit (TurboTax) No No No Turbotax wrote that “engineers have verified TurboTax is not affected by Heartbleed.” The company has issued new certificates anyway, and said it’s not “proactively advising” users to change their passwords.
IRS No No No “The IRS continues to accept tax returns as normal … and systems continue operating and are not affected by this bug. We are not aware of any security vulnerabilities related to this situation.”
TaxACT No No No “Customers can update their passwords at any time, although we are not proactively advising them to do so at this time.”
USAA Yes Yes Yes√ USAA said that it has “already taken measures to help prevent a data breach and implemented a patch earlier this week.”

Other

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
Box Yes Yes Yes√ “We’re currently working with our customers to proactively reset passwords and are also reissuing new SSL certificates for added protection.”
Dropbox Yes Yes Yes√ On Twitter: “We’ve patched all of our user-facing services & will continue to work to make sure your stuff is always safe.”
Evernote No No No “Evernote’s service, Evernote apps, and Evernote websites … all use non-OpenSSL implementations of SSL/TLS to encrypt network communications.”Full Statement
GitHub Yes Yes Yes√ GitHub said it has patched all its systems, deployed new SSL certificates and revoked old ones. GitHub is asking all users to change password, enable two-factor authentication and “revoke and recreate personal access and application tokens.”
IFTTT Yes Yes Yes√ IFTTT emailed all its users and logged them out, prompting them to change their password on the site.
OKCupid Yes Yes Yes√ “We, like most of the Internet, were stunned that such a serious bug has existed for so long and was so widespread.”
Spark Networks (JDate, Christian Mingle) No No No Sites do not use OpenSSL.
SpiderOak Yes Yes No Spideroak said it patched its servers, but the desktop client doesn’t use a vulnerable version of OpenSSL, so “customers do not need to take any special action.”
WordPress Unclear Unclear Unclear WordPress tweeted that it has taken “immediate steps” and “addressed the Heartbleed OpenSSL exploit,” but it’s unclear if the issue is completely solder. When someone asked Matt Mullenweg, WordPress’ founding developer, when the site’s SSL certificates will be replaced and when users will be able to reset passwords, he simplyanswered: “soon.”
Wunderlist Yes Yes Yes√ “You’ll have to simply log back into Wunderlist. We also strongly recommend that you reset your password for Wunderlist.”Full Statement

Password Managers

Was it affected? Is there a patch? Do you need to change your password? What did they say?
1Password No No No 1Password said in a blog post that its technology “is not built upon SSL/TLS in general, and not upon OpenSSL in particular.” So users don’t need to change their master password.
Dashlane Yes Yes No Dashlane said in a blog post users’ accounts were not impacted and the master password is safe as it is never transmitted. The site does use OpenSSL when syncing data with its servers but Dashlane said it has patched the bug, issued new SSL certificates and revoked previous ones.
LastPass Yes Yes No “Though LastPass employs OpenSSL, we have multiple layers of encryption to protect our users and never have access to those encryption keys.” Users don’t need to change their master passwords becausethey’re never sent to the server. But passwords for other sites stored in LastPass might need to be changed.

Reporters who contributed to this story include Samantha Murphy Kelly, Lorenzo Francheschi-Bicchierai, Seth Fiegerman, Adario Strange and Kurt Wagner.

 

 

E por falar em vírus…

VirusJá se foi o tempo em que a preocupação com vírus digital era enorme, uma neura quase! Quem tinha um PC com Windows relatava casos de terror de perdas de arquivo, roubos de senha, computador lento. Aí surgiu o mito da invulnerabilidade do Mac. Chegaram os smartphones, depois os tablets, e, hoje, quase todo mundo acredita que isso é coisa do passado.

Então vamos ao choque de realidade: o relatório da McAffee sobre The State of Malware 2013 é assustador! Mesmo descontado o fato de que a empresa vende produtos e serviços contra malware, o nome mais amplo das pragas que infestam os dispositivos digitais, não dá para não prestar atenção aos números. sobre os virus e assemelhados.

A cada segundo que passa, mais de 1 novo malware é detectado. São mais de 100.000 a cada dia, 12 milhões de malwares novos só no quarto trimestre de 2012, um acréscimo de 35% sobre o trimestre anterior. E eles são cada vez mais sofisticados e podem causar maiores danos aos seus arquivos e ao que existe neles, inclusive e sobretudo seus dados pessoais.

No que afeta os dispositivos móveis, o incremento de 2012 sobre 2011 foi de estonteantes 44 vezes. Não 44%, 44 vezes! Significa que o caminho para infectar smartphones e tablets foi encontrado. E os bandidos que fazem isso não lembram os piratas românticos do tempo do MS-DOS ou dos primeiros Windows, quando bastava um código malicioso com aparência inocente para deixar o computador mais lento ou então travado. Isso fazia a fama desses hackers pré-históricos, que depois ganhavam rios de dinheiro trabalhando em empresas de segurança digital ou fazendo palestras mundo afora.

Os ramsonwares começam a aparecer em 2010 para chegar a quase 200.000 novos por trimestre. São vírus que bloqueiam determinados arquivos de seu dispositivo digital e depois pedem resgate, exigindo pagamentos em farmácias online, que não existem. Aí vem a senha de liberação, que não resolve, e sua grana já foi.

E aí? Virar analógico é a solução? Claro que não! Mas vale tomar cada vez mais cuidados com o que se recebe nos dispositivos digitais, o que deve ser aberto e os links a seguir. E ter programas anti-malware, em qualquer plataforma usada, e mantê-los permanentemente atualizados.

Não resolve 100%. Mas protege o suficiente para deixar quase todos os riscos com os outros que não se cuidam.

Não seja você a próxima vítima!

A Mega Sena das Buscas Digitais. Só que ao contrário…

ImagemVocê faz buscas na internet, usando seu smartphone ou tablet, via Google, Bing, Yahoo ou outros mecanismos menos cotados? Então prepare-se: se você confia nos resultados e acha que pode esquecer dos vírus  dos trojans, enfim dos malwares que infestam computadores pessoais, pode começar a se preocupar.

A empresa alemã AV-TEST divulgou um estudo onde mostra o ranking desses mecanismos mais populares no quesito entrega de malware nas buscas nossas de cada dia. Esse estudo levou 18 meses para ser concluído e é bem completo e isento.

Continuar Lendo →

Os Incríveis Números da Internet em 2009

O interessante blog Royal Pingdom resume os números da internet em 2009. Vamos comentar alguns deles:

1- Email

  • 90 trilhões de emails enviados em 2009.
  • 247 bilhões de mensagens diárias, em média.
  • 1,4 bilhões de usuários de email no mundo.
  • 100 milhões de novos usuários de email desde 2008.
  • 81% dos emails enviados foram spam.
  • 92% de emails como spam enviados em dias de pico, no final do ano.

2- Usuários da Internet

  • 1,73 bilhões de usuários no mundo (09/2009)
  • 18% foi o crescimento em relação a 2008.
  • 179.031.479  dos usuários estão na América Latina e Caribe, mais de 10,3% do total.

3- Mídias sociais

  • 126 milhões de blogs na  internet.
  • 84% dos sites sociais têm mais mulheres do que homens.
  • 27,3 milhões de tweets no Twitter/dia em novembro
  • 350 milhões de pessoas no Facebook.
  • 500.000 aplicações ativas no Facebook.

3- Software malicioso

  • 148.000 novos computadores zumbis criados por dia, que ficam enviado spam e lixo eletrônico automaticamente.
  • 2,6 milhões de programas maliciosos no início de 2009 (virus, cavalos de Tróia, etc.)
  • 921.143 milhões de novas ameaças identificadas e adicionadas na lista de proteção pela Symantec no 4o trimestre de 2009.

Façamos algumas reflexões:

Com essa quantidade de emails que são spams, hoje com certeza a uma taxa superior a 100 trilhões/ano, as chances de contaminação crescem exponencialmente, ainda mais com a contribuição de 150 mil novos zumbis/dia, ou, até a data da postagem, 3.600.000 novos computadores virando zumbis…

Isso sem falar nos links das mensagens das redes sociais, não computados nas estatísticas.  Levando em conta que só os usuários do Facebook equivalem hoje ao dobro da população brasileira, e que uma parte dos 27 milhões de tweets dia contêm algum tipo de link, incluindo aqueles que adicionam automaticamente centenas de seguidores, mas retêm seus dados para spam e phishing, por exemplo, chegamos a uma dimensão preocupante das ameaças.

E aí, abandonamos os emails e as redes sociais?  Não necessariamente. Mas devemos cuidar sobremodo da proteção de nossos dados pessoais e não deixar desatualizados os programas anti-virus, anti-spam, anti-phising, anti-tudo.

Vale lembrar que a internet, assim como o mundo real, não dispensa mecanismos e atitudes de segurança.  Olhe em sua volta para as grades, as câmeras de monitoramento, os procedimentos de embarque nos aeroportos, os exames de laboratório. Não poderíamos viver sem eles para termos sossego, certo?


Então, na internet é a mesma coisa, e as ameaças são reais, não virtuais.



Os Incríveis Números da Internet em 2009

O interessante blog Royal Pingdom resume os números da internet em 2009. Vamos comentar alguns deles:

1- Email

  • 90 trilhões de emails enviados em 2009.
  • 247 bilhões de mensagens diárias, em média.
  • 1,4 bilhões de usuários de email no mundo.
  • 100 milhões de novos usuários de email desde 2008.
  • 81% dos emails enviados foram spam.
  • 92% de emails como spam enviados em dias de pico, no final do ano.

2- Usuários da Internet

  • 1,73 bilhões de usuários no mundo (09/2009)
  • 18% foi o crescimento em relação a 2008.
  • 179.031.479  dos usuários estão na América Latina e Caribe, mais de 10,3% do total.

3- Mídias sociais

  • 126 milhões de blogs na  internet.
  • 84% dos sites sociais têm mais mulheres do que homens.
  • 27,3 milhões de tweets no Twitter/dia em novembro
  • 350 milhões de pessoas no Facebook.
  • 500.000 aplicações ativas no Facebook.

3- Software malicioso

  • 148.000 novos computadores zumbis criados por dia, que ficam enviado spam e lixo eletrônico automaticamente.
  • 2,6 milhões de programas maliciosos no início de 2009 (virus, cavalos de Tróia, etc.)
  • 921.143 milhões de novas ameaças identificadas e adicionadas na lista de proteção pela Symantec no 4o trimestre de 2009.

Façamos algumas reflexões:

Com essa quantidade de emails que são spams, hoje com certeza a uma taxa superior a 100 trilhões/ano, as chances de contaminação crescem exponencialmente, ainda mais com a contribuição de 150 mil novos zumbis/dia, ou, até a data da postagem, 3.600.000 novos computadores virando zumbis…

Isso sem falar nos links das mensagens das redes sociais, não computados nas estatísticas.  Levando em conta que só os usuários do Facebook equivalem hoje ao dobro da população brasileira, e que uma parte dos 27 milhões de tweets dia contêm algum tipo de link, incluindo aqueles que adicionam automaticamente centenas de seguidores, mas retêm seus dados para spam e phishing, por exemplo, chegamos a uma dimensão preocupante das ameaças.

E aí, abandonamos os emails e as redes sociais?  Não necessariamente. Mas devemos cuidar sobremodo da proteção de nossos dados pessoais e não deixar desatualizados os programas anti-virus, anti-spam, anti-phising, anti-tudo.

Vale lembrar que a internet, assim como o mundo real, não dispensa mecanismos e atitudes de segurança.  Olhe em sua volta para as grades, as câmeras de monitoramento, os procedimentos de embarque nos aeroportos, os exames de laboratório. Não poderíamos viver sem eles para termos sossego, certo?


Então, na internet é a mesma coisa, e as ameaças são reais, não virtuais.



%d blogueiros gostam disto: