Arquivos de Tag: 2014

Dia dos Pais com verba curta. Qual o presente?

DSC06732Dia dos Pais. Dia de Presentes? De tecnologia?

Pode ser que hajam limitações. O cartão de crédito não anda de bom humor, o pai já tem tudo, ou não é muito ligado em coisas digitais, ou uma combinação desses e outros fatores.

Mas é inegável que a data traga reflexões. Nesse ano de 2014, muita gente anda contraída, ressabiada, e, no campo da tecnologia, já se foram os dias daqueles presentes baratos, para uso diário, como um pendrive, uma capa nova para o smartphone ou até mesmo uma coleção nova de músicas digitais numa dessas stores online onde você tem conta.

Presentear o papai com uma assinatura de uma revista digital ou de um serviço de streaming de vídeo pode ser uma boa, mas às vezes pode passar do teto de seu orçamento.

Que tal então procurar fazer uma aproximação digital com o papis? Como existe uma geração –literalmente– entre ele e você, é possível que suas trilhas digitais sejam bem distintas. Cada um na sua, usando aplicativos diferentes, de modo diferente, perfis de redes sociais que podem nem convergir. Ou até convergir demais.

Explico: com amigos(as), com a turma, é natural aquela sinergia na interação digital. Com uma geração acima ou abaixo, isso não é tão óbvio.

O dia-a-dia da vida moderna impõe, por vezes, um distanciamento maior. Locais de residência distintos, tempo de deslocamentos cada vez maiores, compromissos mil para manter as contas em dia, enfim, perspectivas e expectativas distintas.

É aqui que os dispositivos e serviços digitais tanto podem afastar como aproximar as gerações. Sem que isso seja notado por um ou por outro.

Você pode, então, conversar com o velho e buscar os pontos em comum das vidas digitais e aproximar-se dele. Um ponto de partida. De baixo para cima, na pirâmide etária.

Use a tecnologia para ficar mais perto, para aplainar divergências.

Tudo anda bem? OK, mesmo assim, nada é tão bom que não possa melhorar!

Tudo está feio? Boa oportunidade para reverter o quadro.

Faça uma proposta de aproximação digital. Pessoalmente, se possível. Com uma cartinha de papel, junto a um abraço e um beijo. Esse link é muito importante!

Eu tenho estudado muito a respeito do assunto, e de como as diversas gerações se comportam diante do mundo digital. A diferença é grande!

Existem, mundo afora, grupos, moderados por psicólogos, que se propõem a reaproximar filhos de pais e vice-versa usando a tecnologia como auxílio. Pode até dar certo, não sei.

Mas o bom mesmo, é um grande abraço e um beijo carinhoso no dia deles, que também pode ser o seu.

Isso vale mais do que um presente comprado pela internet. Independente de seu orçamento!

Feliz dia dos Pais, aos pais e filhos, sejam eles analógicos ou digitais.

Anúncios

Johannes Gutenberg e a Cerveja

Caldo-de-bituca-1Você gosta de cerveja? Eu gosto, especialmente as mais elaboradas, premium, como a curitibana Caldo de Bituca, ganhadora de medalha de ouro no Festival Nacional da Cerveja de 2014.

Mas esse é um blog sobre tecnologia. Vamos a ela:

Tecnologia inovadora significa ruptura, transformação. Vivemos em um mundo tecnológico, cada vez mais digital, e, de um modo geral, nos esquecemos das grandes invenções que mudaram o mundo.

No século 15, a Idade Média caminhava para seu fim, embora quem vivesse, à época, pouco poderia perceber as mudanças que viriam. A produção de livros era, na Europa, essencialmente feita em mosteiros, onde os monges aprendiam a ler e a escrever com capricho, treinados especialmente para copiar livros e outros escritos, na sua maioria de natureza religiosa.

GutenbergEsse ofício vinha de séculos, e, para atender o aumento da demanda nas igrejas e nos palácios, mais monges eram necessários para produzir livros. Aí surge o alemão Johannes Gensfleisch zur Laden zum Gutenberg, o inventor da prensa com tipos móveis e intercambiáveis, que permitiu a produção em escala de livros, sem a necessidade da cópia manual.

Resultado: os monges foram progressivamente perdendo o ofício, gerando problemas de custo para a igreja e requerendo um reposicionamento de mercado, por conta da revolução tecnológica causado pela prensa de Gutenberg.

Um dos países que mais sofreu foi a Bélgica, por conta da quantidade de mosteiros lá existentes. A saída encontrada foi reciclar os monges para o ofício de cervejeiros. Surgiram as clássicas cervejas trapistas, nos mosteiros dessa Ordem, que não só elevaram o nível de qualidade em relação às existentes, como permitiu o aumento de sua produção, exatamente à época em que começavam a florescer o comércio, as navegações marítimas e a arte da Renascença.

Com certeza, o mundo seria outro sem a revolução tecnológica de Gutenberg. Mas hoje, Sábado de Alelúia, brindemos à sua colaboração indireta para o surgimento de cervejas de qualidade! Tin-Tin, uma Feliz Páscoa!

Boas e más notícias para a tecnologia em 2014

Com as novidades digitais já anunciadas pelas grandes empresas e também por promissoras startups, o ano de 2014 promete ser bem mais animado do que 2013.

Eu até arriscaria uma aposta de que, no Natal deste ano, veremos algum tipo de produto digital para vestir ou como acessório da moda que estará no hit parade dos mais cobiçados e vendidos.

Ou seja, não será por falta de opções ou tentações que você não incluirá uma dessas na sua lista de desejos ou de compras.

Televisores, laptops, tablets, smartphones, relógios, óculos, pulseiras, meias e camisas conectadas estarão nas prateleiras. Até para seu pet favorito você terá opções.

Essas são as boas notícias… As más, estão por conta de dois vilões, o dolar e os juros. Não é cenário de nenhum economista um ambiente de dólar a menos de R$ 2 nem de juros básicos em um só dígito, que dirá para financiamento ao consumidor.

Como esses gadgets possuem altos índices de insumos importados, já dá para ver nas lojas as diferenças de preços em relação ao início de 2013. Os mais óbvios televisores e computadores estão, na média, mais de 10% acima dos equivalentes de um ano atrás, e, na métrica dos fabricantes, nem toda a variação cambial foi repassada.

É certo que os reajustes ao longo do ano superarão a taxa de inflação. Assim, não espere pechinchas para a lista de Noel. E se você precisar da ajudazinha de um financiamento. as prestações serão salgadas ao ponto dar trabalho extra aos seus rins para se ver livre delas.

Uma consequência adicional que podemos imaginar é que as vendas caiam um pouco, ou cresçam menos, o que pode aumentar estoques e derrubar um pouco os preços finais. Mas, sem margens compensadoras, a indústria e os importadores poderão adiar o ciclo de novos lançamentos no Brasil, fazendo as novidades demorarem mais tempo para chegar por aqui.

Mas também é possível que eu esteja errado, ou pessimista demais. Afinal, em ano de Copa do Mundo e eleições, ambas no Brasil, quem sabe?

Somos todos Afonsos! Pena…

Hoje no programa 91 Minutos, da Rádio Rock, falávamos sobre uso corporativo de redes sociais, limites aos colaboradores, e tal, quando o Alvaro Borba deu a notícia que o Afonso Pena estava fechado para pousos e decolagens e que um número consideráve de voos estava cancelado. E chamou o intervalo.


Aí me veio à cabeça um trocadilho infame, mas aplicável à realidade de quem viaja de avião nessa época do ano e precisa chegar ou sair através de nosso aeroporto dito internacional: 


Um aviso da Infraero diria assim: “Afonso? Pena! Seu voo foi cancelado…” 

E isso explicaria a realidade sobre o batismo do aeroporto, que nada teria com uma homenagem a um ilustre ex-presidente.

Pensando que a Copa de 2014 acontecerá também aqui em Curitiba e que a possibilidade do cancelamento de voos pode prejudicar, digamos, um excitante e emocionante jogo entre Nigéria e Dinamarca, por exemplo, leva à conclusão de que aqui, em nossa região, com a infra aeroportuária que dispomos, cada um de nós é um Afonso. Pena!

Desculpas antecipadas aos Afonsos de batismo, alguns deles meus amigos, mas, ao meu ver, o caos aéreo ainda está na sua infância. Se hoje está ruim, ainda vai piorar muito.

%d blogueiros gostam disto: